Da Risibilidade dos Planos.

Inesperado

#49

Life is a dynamic, organic, ever-changing thing of mystery and wonder.
Which is to say, you can’t plan for shit.
The Illusion of Planning

Tradução livre: “A vida é uma coisa dinâmica, orgânica, em constante mudança, cheia de mistério e maravilha. O que significa que você não pode planejar porra nenhuma.”

Eu adoro fazer planos e planejar. Sou dessas criaturas que se diverte com essas atividades, com os detalhes, a imaginação, a organização.

Os Planos.

Eu tinha alguns planos para Janeiro:

  • Entregar um trabalho e começar outro.
  • Terminar meu site de themes e colocá-lo no ar.
  • Terminar a planilha de metas do Projeto Deusas e entregá-la para as Deusas.
  • Manter o ritmo de um post por semana para o #52posts.

Pouca coisa. Planos modestos e realistas.

Aí algum dos deuses lá em cima me viu, teve um acesso de riso e resolveu me mostrar com quantos paus se faz uma canoa furada.

O Imprevisto.

Dois dias depois de entregar o trabalho que tinha em andamento, minha cachorra ficou doente. Problema de coluna, dificuldade para caminhar.

Ela vai ficar bem, está sendo tratada e muito bem cuidada.

Só que ela precisa de ajuda constante para se mover. Para tomar água, comer, tecéteras. Ela pesa quase 30 quilos, e nem sempre colabora. Nem sempre sabe o que quer. De modos que tenho passado os dias em volta dela.

Além de passar o dia todo fazendo exercício físico (e de paciência), ela acorda pelo menos uma vez de madrugada para fazer xixi. E depois de levantar e fazer toda a ginástica correspondente, não raro eu perco o sono. E bóvio que no dia seguinte não posso dormir até mais tarde porque preciso cuidar dela.

Nada disso é queixa. É um relato dos fatos que têm como resultado estar cansada e mal dormida há duas semanas já, com previsão de pelo menos mais duas semanas de exercícios físicos e de paciência. O que somado à falta de tempo, dá como resultado não conseguir trabalhar nem fazer muita coisa além de exercitar o físico e a paciência.

O que significa que não adianta ter planejado porra nenhuma.

E no Entanto…

Como a Havi diz no post:

“Claro que o ato de planejar pode ser divertido (e útil) – sempre e quando você não se preocupe muito com como as coisas vão acontecer realmente. Porque hahahahahahaha isso poderia ser problemático.”

Planejar é útil para ter um mapa, um Norte, uma direção. Para organizar suas idéias e liberar espaço útil no cérebro. Para encontrar possíveis soluções e descobrir possibilidades. Até mesmo para ter uma certa sensação de segurança, de estar preparado.

Planos podem ser um porto ao qual você pode voltar depois da tempestade. Como no meu caso: quando a coisa se acalmar e voltar a ter algum semblante de normalidade, já sei por onde começar e por onde ir. Sei onde quero colocar meu foco.

O importante é que seus planos não estejam lavrados em bronze. Que você não entre em pânico quando não conseguir segui-los ou colocá-los em prática como gostaria. Seja flexível, esteja disposto a adaptar-se.

Não desista. Volte a seguir o mapa quando puder. Não perca o Norte de vista, mesmo quando tiver que fazer os inevitáveis desvios e paradas.

Moral da História.

“Planeje sempre para o fato de que nenhum plano funciona conforme o planejado.” Simon Sinek

Quando os deuses rirem de seus planos, ria com eles. E faça novos planos.

Image: Yewenyi – CC By-Nc.

3 Comentários

  1. denise rangel
    denise rangel January 30, 2013 às 3:55 pm | | Responder

    Nosph,
    Aprendi, na adolescência, com uma professora do ginásio, a fazer meu plano de atividades por ordem de prioridades (anual, semestral, mensal, semanal, diário, com preferir), e a ir obedecendo a ordem rigorosamente. Assim, no fim do dia, semana, mês. ano (o que for), você poderá não ter realizado tudo o que planejou, mas terá realizado o mais importante. Faço isto até hoje. Nada de prazos ou cobranças, apenas, priorioridades.
    Creio que você está no caminho certo. Só não se cobre demais, menina.
    Melhoras para a cadelinha!
    beijo, menina

  2. 100 Dias April 10, 2013 às 2:42 pm |

Deixe seu Comentário